Escritor colombiano Gabriel García Márquez morre aos 87 anos no México

O escritor colombiano Gabriel García Márquez, criador do realismo mágico latino-americano com seu emblemático livro “Cem Anos de Solidão”, morreu nesta quinta-feira em sua casa na Cidade do México aos 87 anos.

As causas da morte não estavam imediatamente claras, mas García Márquez, Prêmio Nobel de Literatura, esteve internado até a semana passada em um hospital da capital mexicana por uma infecção pulmonar e de vias urinárias.

Escritor colombiano García Márquez morre aos 87 anos no México

Escritor colombiano García Márquez morre aos 87 anos no México

Há uns dias, um jornal mexicano afirmou que o câncer linfático que ele sofreu anos atrás havia reaparecido e se espalhado para outras partes do corpo. Contudo, algumas pessoas próximas desmentiram e um dos médicos que atendia o escritor apenas disse na quarta-feira que o seu estado era “delicado”.

Fernanda Familiar, uma jornalista próxima à família que ajudava o escritor na sua relação com a imprensa, deu a notícia em sua conta do Twitter, confirmada mais tarde pelo presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos.

Escritor colombiano García Márquez morre aos 87 anos no México

Escritor colombiano García Márquez morre aos 87 anos no México

No dia de seu aniversário, em 6 de março, o autor de “Amor nos Tempos do Cólera” e “Crônica de uma Morte Anunciada” saiu à porta de sua residência em um luxuoso bairro ao sul da capital mexicana para agradecer às pessoas que foram cumprimentá-lo, como fazia todos os anos, mas seus movimentos não tinham muita coordenação.

Essa foi a última vez que foi visto em público. Nesta quinta-feira, um carro fúnebre deixou sua casa com o corpo do escritor.

García Márquez, que revolucionou as letras hispânicas dando dimensão universal ao realismo mágico, se somou à lista dos latino-americanos premiados com o Nobel de Literatura, ao lado dos chilenos Gabriela Mistral e Pablo Neruda e do guatemalteco Miguel Angel Asturias.

Ele é um dos literatos mais famosos, prolíficos e queridos da América Latina, que descreveu com uma pluma singular mesclando o cotidiano com o irreal.

Sua obra mais conhecida, “Cem Anos de Solidão”, publicada em 1967, foi traduzida em dezenas de idiomas e é estudada em diversas universidades do mundo como um dos pilares do realismo mágico.

Em toda a América Latina figuras culturais e políticas lamentaram a perda do símbolo do boom latino-americano do século 20.

A presidente Dilma Rousseff divulgou uma nota de pesar pela morte de García Márquez, “dono de um texto encantador”.

“Gabo, como era conhecido, conduzia o leitor pelas suas Macondos imaginárias como quem apresenta um mundo novo a uma criança. Seus personagens singulares e sua Colômbia e América Latina exuberantes permanecerão marcados no coração e na memória de seus milhões de leitores”, afirmou Dilma.

Além do presidente colombiano, outros mandatários também enviaram suas condolências, como Enrique Peña Nieto, do México, Rafael Correa, do Equador, e Ollanta Humala, do Peru.

Escritor colombiano García Márquez morre aos 87 anos no México

Escritor colombiano García Márquez morre aos 87 anos no México

Até um dos homens com o qual estava mais distante por questões pessoais e ideológicas, o escritor peruano Mario Vargas Llosa se despediu de seu colega.

“Morreu um grande escritor. Suas obras deram grande difusão e prestígio à literatura. Seus romances sobreviverão e continuarão ganhando leitores em toda parte”, disse o Prêmio Nobel peruano, que é considerado o último grande escritor deste “boom”, segundo o jornal El Comercio.

A cantora popular colombiana Shakira postou em seu Twitter uma foto em que aparece abraçando García Márquez.

“Querido Gabo, uma vez disseste que a vida não é a que a gente viveu e sim a que a gente recorda… Sua vida, querido Gabo, será lembrada como um presente único e irrepetível e como o mais original dos relatos”.

Escritor colombiano García Márquez morre aos 87 anos no México

Escritor colombiano García Márquez morre aos 87 anos no México,

Amigo do líder cubano Fidel Castro, o escritor colombiano nunca escondeu suas ideias de esquerda. “A cultura latino-americana está de luto, morreu Gabriel García Márquez”, diz o Granma, jornal do governista Partido Comunista de Cuba, em sua página na Internet.

Ver Tv Com VC
Shandy Games
Faa publicidade com a Pnico
Venha Ser nosso Parceiro


Envie esta postagem para um grupo no Facebook:


DEIXE SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA MATÉRIA

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não da Rádio Pânico

Acesse o site do Comunidades.Net
Venha Ser nosso Parceiro
Venha Ser nosso Parceiro