Conferência reúne funkeiros pela primeira vez em museu carioca

Com entrada franca, o evento está sendo realizada no auditório da Escola do Olhar, que capacidade para 150 pessoas.

Braço pedagógico do Museu de Arte do Rio (MAR), a Escola do Olhar, espaço voltado para a integração entre arte e educação, abrigará em todas as quartas-feiras deste mês a 4ª Conferência Funk, evento que reúne pesquisadores e profissionais do gênero musical.

Conferência reúne funkeiros pela primeira vez em museu carioca
(Foto: Divulgação)

Aberta ao público, a conferência é uma preparação para a Rio Parada Funk, um grande baile público marcado para 13 de setembro, na Praça da Apoteose, na região central do Rio.

Esta é a primeira vez em que a conferência, em sua quarta edição, ocorre em um museu dedicado principalmente às artes visuais. De acordo com um dos organizadores do evento, Matheus Aragão, este fato tem toda uma simbologia: o funk no museu. “O funk tem todo um histórico de proibições e perseguições. Estar entre os grandes da arte é um momento especial. Estamos muito felizes com a sensibilidade da direção e da área pedagógica do MAR para com o nosso evento”, diz.

Segundo Aragão, a conferência é uma oportunidade para o encontro de funkeiros – DJs, MCs, produtores – que se conhecem há muitos anos, mas que não se reúnem por causa dos compromissos profissionais. “Mas também é um momento muito sério, de avaliação de possibilidades e também de posturas erradas que o movimento tem adotado, mas que podem ser reformuladas”, destaca.

Nesta quarta-feira, o tema é “Funk é o poder! Encontro com o poder público”. O debate reúne desde o final da tarde nomes como os DJs Marlboro e Sany Pitbull para um encontro com autoridades como a secretária estadual de Educação, Eva Dóris Rosental, que tem tomado iniciativas em favor do gênero, como a criação do Prêmio Funk RJ, a ser concedido em dezembro próximo.

Sempre com início às 17h, os próximos encontros terão como temas Direitos Autorais (dia 12), O Baile Funk na Era Transmídia (dia 19) e Proibidão (dia 26). O primeiro discutirá a legalização dos bailes funk e os direitos e deveres dos funkeiros. O papel da internet e, em especial, das redes sociais na divulgação do universo funk será abordado no segundo. O terceiro encontro tratará dos preconceitos e das interdições judiciais em relação ao gênero.

Com entrada franca, a conferência está sendo realizada no auditório da Escola do Olhar, que capacidade para 150 pessoas. O Museu de Arte do Rio (MAR) fica na Praça Mauá, 5, no centro do Rio.